#CasaVerdeSessions: Os 5 novos vídeos da nova temporada + entrevista

A Casa Verde é um dos picos de maior produção cultural independente na história de Uberlândia. São vários anos fazendo arte dos mais diferentes estilos. Quem lembra dos shows de baixo das árvores? Bons momentos da música do cerrado mineiro foram vividos ali.

Junto ao estúdio e a casa de produção cultural, em 2013 surgiu o Moviola Mídia Livre, em um encontro entre a mineira Olívia Franco e a paulista Ana Carolina Moraes. Começaram fazendo coberturas fotográficas, e precisou pouco tempo pra começarem a produzir vídeos e se tornarem uma das principais produtoras de Minas Gerais.

O Casa Verde Sessions, surgiu em 2014 junto a Rafael Vaz. Com grandes nomes da música independente brasileira sempre passando por Uberlândia, surgiu a ideia de registrarem todas no próprio estúdio da casa.

Atualmente, estão fazendo a temporada apenas com artistas do Triângulo Mineiro, e cinco episódios já foram lançados. Isso tudo você confere aqui. Falamos também com a Ana Carolina Moraes, que contou como foram os dias de gravação e muitas outras curiosidades.

#01 - Saravashivaya - Raio da Cura

CenaCerrado: Olá Ana! Primeiramente parabéns a todos vocês pelos primeiros 5 vídeos da nova temporada, estão lindos. Então, primeiro queria fazer um breve histórico sobre a produção cultural feita na casa verde. Você sabe me dizer quanto tempo existe esse trampo aí? Você tá desde o começo? Se não, chegou quando?

Ana Moraes: A casa verde tem muita história! Eu cheguei em 2013. Antes de mim, o Rafael Vaz já tava por lá com o estúdio a uns 3 anos (chamava Caverna, mas todos chamam de casa verde então ele acabou mudando o nome recentemente), e a casa sempre teve um envolvimento com cultura: já morou poeta, ator, escritor, já foi sede do coletivo cultural Goma, ligado ao Fora do Eixo, enfim... E eu também trabalho com cultura a anos, então a continuidade no movimento da casa foi natural.

#2 Frederico - No Escuro

CenaCerrado: Nesses quase cinco anos de Moviola Mídia Livre, vários artistas passaram pela casa e os frutos foram lives incríveis. Cite alguns dos momentos que foram mais marcantes pra você.

Ana Moraes: O moviola começou no segundo semestre de 2013, quando conheci a Olívia na pré produção do Festival Goma, e começamos a fotografar juntas. Depois vieram os vídeos...

Eu produzia eventos, as bandas ficavam hospedadas na casa verde. E aí num café (com os Babi Jacques e Os Sicilianos, se não me engano) a gente se perguntou: por que não fazemos uma sessions? (risos). E aí começamos a experimentar.

#3 - Sick - Lè Pontê

Não sabíamos nada de sessions, haha, muito menos de filmagem. A Olívia sabia mais por que tinha formado em cinema, mas tinha pouca experiência prática. O mais marcante das sessions até agora foi ter gravado os Boogarins. Não lançamos porque o material ficou ruim, hahaha. Um dia ainda dá certo, foi um dos primeiros que gravamos e deu ruim no áudio. Inventamos de mudar a bateria de lugar, aí vazou muita ambiência no mov por causa da acústica da sala... O Ynaiã tinha acabado de entrar, tava descendo a mão, e o Dinho canta baixinho... Daí não ficou muito bom o áudio.. O Rafael Vaz até fez uma versão psicodélica que tá no soundclound do estúdio, e o vídeo ficou bem mais ou menos, estávamos nervousers, haha.

Gravar o Radio Moscow, também foi demais. Eles foram tocar em Uberlândia, ficaram uns 3 dias na casa. Os Munoz tavam por lá também, tocaram juntos.

#4 - Light Strucks - Tropical Mudd

CenaCerrado: A nova temporada é apenas com artistas do triângulo mineiro. Por ter visto através das lentes vários artistas em todo país, o que você pode dizer sobre o atual momento da nossa música?

Ana Moraes: Minas Gerais é bom demais! Tem muito artista incrível por aí, acho que a cena já esteve melhor, já esteve pior também, acho que tá num momento de consolidação. Tem muitos músicos bons e criativos aí no triângulo, e o público tá crescendo aos poucos também, buscando mais as produções locais. De um tempo pra cá, graças a Jah, as pessoas estão aprendendo a valorizar as iniciativas das suas cidades né. Espero que essa temporada seja um incentivo pra isso tudo. Nos surpreendemos na hora de selecionar as bandas. Muitos que nós não conhecíamos. O projeto que foi aprovado pela lei de incentivo era pra produzir 8 vídeos, acabaram sendo 11.

#5 - Vaine & Kainã Bragiola - Aproveito a Ocasião

CenaCerrado: Após essa temporada, o que está por vir no Casa Verde Sessions e no Moviola Mídia Livre?

Ana Moraes: Temos mais de 20 episódios em processo de edição, além dessa atual temporada Triângulo Mineiro. Gravamos muuuuitos artistas incríveis como: Tagore, My Magical Glowing Lens, The Baggios, SLVDR, Ekena, entre vários outros. Tivemos que parar essas edições por que saiu a verba dessa temporada local né, ela é incentivada pelo (PMIC) Programa Municipal de Cultura da Prefeitura de Uberlândia (muito obrigada), e aí depois que terminar esses lançamentos da temporada local vamos voltar com os episódios mais antigos, em preto e branco, e seguimos lançando um por semana. Temos episódios pra lançar o ano inteiro, fechamos algumas parcerias pra esses lançamentos. E o Moviola segue com seus trabalhos pelo Brasil a fora. Muitas novidades estão por vir mas ainda não posso dar spoilers.

Equipe de vídeo do Moviola Mídia Livre: Bruna, Ana e Olívia. / Foto: divulgação.

CenaCerrado: Nessa ultima parte, deixo livre pra você agradecer ou falar qualquer coisa que quiser.

AnaMoraes: Gostaria de agradecer a todos que colaboraram algum dia de alguma forma com o casa verde sessions! Muitos amigos estiveram junto pra fazer acontecer, emprestando equipamentos, ajudando na montagem, no café, no chá, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença. Nós não teríamos chegado até aqui se não fosse todos a nossa volta... Não vou citar nomes por que são muitas e muitas pessoas, e é provável que eu esqueça de citar alguém (risos). Mas cada um sabe o que fez, somos todos muito gratos pelas parcerias que temos.

Esse é um projeto que fazemos com muito amor, na raça mesmo, muito obrigada a todos os artistas pela paciência com a gravação e a demora pra lançar alguns vídeos... Infelizmente muitas vezes tivemos que deixar a série de lado pra pagar os boletos, esperamos muito que essa realidade mude em breve! (risos).

Queria dizer também que a arte muda o mundo, nunca desistam dos seus sonhos amiguinhos: um dia dá certo! (insira aqui o meme / lambe da tia do docinho).