#Agenda: Primeiro Cena Cerrado do ano será uma grande festa indie

2017 foi mais um ano animal pra música independente do triângulo mineiro. Mais de 60 artistas/projetos passaram em mais de 30 eventos produzidos ou com apoio do Cena Cerrado. Com o surgimento de vários selos/produtoras como Roça Records e Triluna, este numero cresce cada vez mais e o público agradece.

A brasiliense de psychopop MDNGHT MDNGHT se apresenta pela primeira vez em Uberlândia, neste domingo.

Sábado: Blues na Fábrica da Uberbrau Cervejaria

Neste sábado, acontece o aniversário de dez anos do Uberbrau Cervejaria, com umas das bandas de blues mais tradicionais de Uberlândia: BR Blues Band. A entrada será gratuita, e começa a partir das 14h. A fábrica fica no bairro Tibery, próximo ao Teatro Municipal.

Domingo: Cena Cerrado Apresenta

Neste ano que promete pelo nosso primeiro festival, já vamos começar com grandes apresentações. A primeira edição de 2018 do Cena Cerrado Apresenta chega neste domingo, com três bandas estreantes nos nossos palcos: MDNGHT MDNGHT (DF), Meta Loris (SP) e a revelação mineira de 2017: Santa Pipe. MDNGHT MDNGHT (Brasília - DF):

Projeto autoral de Brasília, a MDNGHT MDNGHT busca proporcionar novas experiências aos apreciadores de um som dançante ao progressivo, passando pelo delicioso e peculiar synth pop oitentista.

Se apropriando de diversas interpretações de estilos que tangenciam o popular e a vanguarda, convidam o ouvinte a uma breve viagem num explosivo mundo particular. A banda faz sua turnê de despedida do seu aclamado EP "Colora", passando nas principais capitais do país.

META LORIS (Ribeirão Preto - SP):

A Meta Loris, de Ribeirão Preto (SP) constrói sua identidade musical a partir de elementos da música brasileira atual em conexão com o peso e a sujeira do rock experimental.

Os riffs, sintetizadores e texturas dão sentido pras letras que falam sobre o simples cotidiano. A banda lançou seu primeiro EP em 2015, chamado "Eu sou um lixo em uma Roda de Violão".

SANTA PIPE (Uberlândia-MG)

Num casamento lo-fi do punk com o grunge, a nostalgia de dias superestimados e a perspectiva de dias medíocres só podem acabar virando padrinhos.

A Santa Pipe, formada por Ciro Rezende (voz), Renato Cesar (baixo), Joe Porto (Lava Divers/guitarra), Romero Filho (guitarra) e Arthur (bateria), lançou seu primeiro single na coletânea Cena Cerrado 2017, e já demonstrou grandiosidade em suas apresentações.

O seu primeiro EP deve sair ainda no primeiro semestre de 2018, mas você já pode conferir o que vem por aí, amanhã, no Vinil Cultura Bar.