MutambaFestival: line e ideia inovadora de financiamento coletivo


Os festivais e profissionais da música passam um dos piores momentos de suas vidas. Nunca pensamos em chegar em algo parecido, no mundo todo. Ao mesmo tempo, nunca se consumiu (e é necessário consumir) tanta arte. É o que nos movimenta nesses dias onde aparentemente nada acontece, a não ser no seu home office.

Vimos e acompanhamos a criação de inúmeras ações e festivais, como o Fica em Casa, que começou em Portugal e logo teve sua edição brasileira com vasto line, e o bem sucedido Global Music Fest, que teve produção da Brain Productions Booking, e fez bonito com lives emocionantes de artistas do mundo todo. Até o querido Built to Spill.

O Mutamba - Festival de Música, chega após uma união entre dois selos (Cena Cerrado Discos e Milo Records), e traz uma nova proposta de festival meio a pandemia.

Pensando em uma nova maneira de ajudar os artistas e não ser mais apenas um festival de lives, o festival com nome de fruta do cerrado, propõe uma nova maneira de financiamento coletivo, usando da troca entre artistas, marcas e empresas.

COMPRE UM INGRESSO, DIVULGUE SUA MARCA, ASSISTA UM SHOW E APOIE UM ARTISTA

Com todas as casas e espaços fechados, os artistas ficaram reféns de apresentações em lives pra sobreviverem na pandemia, trabalhando através de doação. O Mutamba, criou um novo esquema de monetizar todos os profissionais envolvidos. Você poderá ajudar de três formas: sendo apoiador, patrocinador ou doador.

As duas primeiras opções, envolvem publicidade. Sendo apoiador, você ajuda o festival todo, tendo sua marca veiculada em todas as mídias sociais do festival, dos selos e dos artistas envolvidos. O patrocinador, além dos primeiros serviços, também tem o direito de ter seu produto ou marca divulgado em um show específico dentro da programação. Ou seja, se você tem um artista favorito, você pode ajudar ele diretamente e ele retribui fazendo tua publicidade.

E por último, o doador, que pode fazer doações diretas e indiretas para o festival, com valores a partir de R$10. Os links para doações serão liberados a partir das 18h desta quarta (20), e serão intermediados pelo sympla.

CIRCUITO CERRADO DE MÚSICA

Sick no Festival Cachu (Araguari) / Foto por Pj Gianinni Godoy

Por alguns anos, uma das rotas mais conhecidas de turnês, foram entre SP, MG e GO e DF.

A boa logística, a existência de muitos produtores culturais, selos e artistas nesses estados, criaram automaticamente essa rota. O Circuito Cerrado de Música, chega pra criar conexões e aproximar essas fronteiras: entre estados, artistas, produtores e casas.

Com a união e a cooperação destes representantes culturais, o objetivo é ter uma rota estruturalmente estabilizada, onde um artista possa sair de São Paulo (capital) e fazer shows por Ribeirão Preto, Uberaba, Uberlândia, Patos de Minas, Brasília, Goiânia e Juiz de Fora, cidades com representantes culturais integradas ao circuito. Após a pandemia, o Mutamba marca presença em todas essas cidades, com grande programação.

LINE UP Mutamba e primeiro ato do Circuito Cerrado

Fugindo do roteiro novamente, o Mutamba apresenta a primeira parte do line. Nessa primeira etapa de lives do festival, mais de 30 artistas de todo o país se apresentam entre os dias 5, 6 e 7 de julho, em seus canais de mídia. Outros três headliners, serão apresentados ainda pra essa primeira fase, nas próximas semanas.

Entre os destaques já anunciados, está o show especial de Tatá Aeroplano, Daniel Belleza e Diego Mascate, que inauguram o projeto de uma futura turnê em conjunto, a mineira e psicodélica Cachalote Fuzz, que lança disco no meio do festival, como a conterrânea Sick, e a turma da pesada de Brasília: Cabra Guaraná, Joe Silhueta e Almirante Shiva.

A incrível Joe Silhueta (DF), em ação / Foto: Thaís Mallon

Serão 10 atrações por dia de festival, que começa na sexta feira (5). Entre uma atração e outra, debates e entrevistas acontecem sobre mais variados temas: música, política, pandemia, entre outros.

Hoje (quarta feira), a partir das 17h, os produtores Arthur Rodrigues (Cena Cerrado) e Camilo Rodovalho (Milo Recs) fazem uma live e falam um pouco do audacioso projeto, nos instagram dos selos, sigam lá: @cenacerrado e @milorecs.

Isso ainda não é tudo. Mais novidades na live de hoje. e logo menos, aqui no portal.