COLUNAS/ENTRENÓS: Festival Cena Cerrado reúne mais de 20 atrações

Evento totalmente gratuito acontece em diferentes pontos da cidade entre os dias 9 e 15 de abril

Tagore (Foto: Leonardo Vinhas)

Dia 13 de setembro de 2014, rua Antônio Fortunato da Silva, 1399. Numa república do bairro Santa Mônica, em Uberlândia, estudantes, artistas e outros anônimos insaciáveis se reuniam por um interesse comum. Se olhar de perto, com o coração e a mente aberta, e explorar novos caminhos naquilo que classificavam como um combo cultural mineiro. Mais de três anos depois, o projeto ganha novas proporções e está prestes a escrever o principal capítulo de sua história. A partir da próxima segunda-feira (9), acontece a primeira edição do Festival Cena Cerrado, com mais de 20 atrações gratuitas em diferentes locais da cidade.


Com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura e da Dicult — Diretoria de Cultura da UFU (Universidade Federal de Uberlândia), o evento reúne uma diversidade de expressões artísticas, que pede passagem com uma programação repleta de opções gratuitas de música, artesanato, gastronomia e mesa de debates.


Nova realidade


Durante os últimos quatro anos, o Cena Cerrado ganhou proporções ainda maiores no cenário independente e chegou a ultrapassar os limites do município, como relata o produtor e idealizador Arthur Rodrigues.


“Estamos completando quatro anos em 2018, e certamente este festival servirá como uma coroação da nova realidade que estamos vivendo. Nos últimos anos, conseguimos levar o nome do Cena Cerrado para diversos lugares do Brasil, como São Paulo, Santa Catarina, Distrito Federal e até Pernambuco, e o intercâmbio cultural contribuiu bastante para a evolução da iniciativa. Gente que nunca ouviu falar de algum artista ou banda da região e passou a virar fã, e outros que encontraram um grupo que falasse por eles. Hoje, quanto mais bandas vierem para a cidade, mais irão sair”, afirma.


Canábicos (Foto: EntreNós)


O sucesso conquistado por meio do intercâmbio cultural é refletido na própria programação do evento. Tagore, artista pernambucano que recentemente se apresentou no festival Lollapalooza, em São Paulo, Medulla (RJ), Joe Silhueta (DF), Gabriela Deptulski (ES), FingerFingerrr (SP), Apicultores Clandestinos (SC), são alguns dos destaques entre as atrações, que se misturam aos novos nomes da cultura local, como Canábicos, Cachalote Fuzz, Light Strucks, Kainã Bragiola, Sick, Maria Augusta, Pulmão Negro, Vaine e outros.


Festival de todos


Com uma variedade de ritmos e expressões, a programação será distribuída em diferentes espaços do município, como na praça do Centro de Tecelagem e na UFU-Campus Santa Mônica, sendo coroada com mais uma edição do evento Arte na Praça, no dia 15 de abril, na Praça Sérgio Pacheco. Para o organizador, a realização do festival será um sonho realizado.


“Uma das grandes vontades que tinha era poder fazer um evento grande, com uma curadoria pensada para a cena independente, totalmente gratuito em espaços públicos da cidade. Para isso, não podemos deixar de destacar o apoio que tivemos da Secretaria de Cultura e da Dicult-UFU, que abraçaram a idéia e ajudaram a fazer tudo isso sair do papel”, destacou.


Mesa de debates


Além dos shows, o festival também pretende estimular ainda mais a reflexão e o conhecimento junto ao público, por meio de mesas de debates na UFU. Entre as atrações, destaque para o músico Jack Will, Alê Valvulado, de Uberlândia, além de uma oficina audiovisual e uma roda de conversa sobre os desafios e conquistas das mulheres na cultura independente, com participação de Joyce Guilarducci, redatora do Cansei do Mainstream e embaixadora do Spotify Brasil, de São Paulo, e outros nomes do cenário local.


Confira a programação completa.