#TáNoAr: Fernanda Vital, Mundhumano, Carolino e Festival Marreco


JESUS CRISTIM!

Assim fala dona Maria, minha avó, sempre presente e atenta. É a maneira dela de indagar as surpresas ruins com as quais sempre se deparou, esclamações regadas com seu humor católico. Minha avó é uma das tantas brasileiras que conseguiu criar sozinha os filhos, isso após perder o marido precocemente ainda muito nova num surto de febre amarela na década de 70.


Imagino que nesse ano ela tem usado o jargão quase o tempo todo porque o negócio foi feio. O que talvez ela não saiba é que o nome do filho do homem é usado por trás de todo tipo de discurso de ódio. A ingenuidade de dona Maria faz com que ela acredite que é sim pela família e bons costumes. O que ela não sabe é que essa família é racista, homofóbica e não gosta de pobre. Satanás soube se fantasiar muito que bem.


Do lado de cá, onde insistem os viventes, o ninho das informações nos abalam diariamente e a arte permanece como o remédio anti surto. Quem não passou ou vem passando por alguma crise nessa quarentena que atire a primeira pedra, porque o cenário aqui não é para amadores. E a arte também não é.


Nos últimos dez dias, uma corrente de lançamentos e acontecimentos musicais tomaram conta do nosso cerrado, mostrando que ainda é possível sentir o vento no rosto e sorrir vendo nosso céu maravilhoso de entardecer. O tom alaranjado rasgado por nuvens baixas pintam o horizonte cenográfico que se põe meio aos sons que nossos artistas emitem. Cada um no seu lugar e tempo com materiais incríveis recém libertos pro mundo.


FERNANDA VITAL - PRA QUEM TÁ QUENTE (single/clipe)

Duas semanas atrás, Fernanda Vital fez seu último lançamento do ano, o envolvente single "Pra Quem Tá Quente", que agora também conta com clipe.


A faixa de Otto e Pupillo foi revisitada com produção de Bruno Buarque e um grande elenco que participou da produção do disco, e entra como bonus track do vinil "Mímesis", que tem lançamento em 2021 pelo Cena Cerrado Discos.



"No Ar. Canção de 2003, versão de 2020. 17 anos depois, me deparo com essa música em um contexto de mundo surreal. Nossa morada. Nosso corpo. Quem de nós no momento ‘Pode Morar?’ Otto me acompanha desde que me conheço como uma real apreciadora de música. Sua música é visceral. Ela fala muitas línguas. Ela tem muitas cores. E agora tem a cor de hoje.

O clipe é uma homenagem aos trabalhadores da pandemia, que arriscam suas vidas para garantir a nossa, sejam eles na linha de frente dos hospitais ou na prestação de serviços. Com roteiro de Gabriel Campos e direção de Sandrow Almeidan (Âncora Filmes), o clipe expõe a sensibilidade das famílias vivendo a pressão de não saber se poderão voltar para casa no fim do dia sem risco para os seus. O resultado ficou maravilhoso, confira:




MUNDHUMANO - GUERREIRAS URBANAS (single)

Projeto criado por dois nomes gigantes da música goiana, Kleuber Garcez e Nina Soldera, o Mundhumano comemora oito anos de existência e produz agora seu primeiro disco. O primeiro e excelente single "Guerreiras Urbanas" saiu no dia 20 de novembro, dia da consciência negra, e traz um retrato do Brasil a partir do olhar da mulher preta e sua história.


A banda também é formada pelos músicos Cesar Faleiro (guitarra), Rafael Lenza (contrabaixo), Pedro Verano (flauta) e Danilo Rosolem (percussão, eletrônicos & efeitos), e a produção do single também contou com as participações luxuosas das cantoras Flávia Carolina e Conceição e do percussionista baiano Jean Michel.


Com influências notáveis do axé, da música de terreiro e de artistas como Metá Metá e Serena Assumpção, os dois comentam sobre o novo lançamento, produzido por Paulo Monarco:


“Disponibilizar este single em 2020 é motivo de festividade. Guerreiras Urbanas é para mim um retrato de um Brasil possível, de conquistas reais. Porque a música fala da diáspora africana que se une e se fortalece nesse lugar. Quem conduz politicamente as coisas por aqui “não dá conta” de ver essa alegria dançante descendo a ladeira, tomando sua cerveja e ocupando lugares. É uma música que rompe com o não. É uma música de sim” Kleuber Garcez

Guerreiras Urbanas é um presente para mim. E eu acho que presentes assim a gente precisa compartilhar ao máximo. Tenho muita felicidade de vê-la chegar para as pessoas em um dia profundamente importante.” Nina Soldera

Confira:


FESTIVAL MARRECO


Aconteceu nesse final de semana (28 e 29 de novembro) a décima primeira edição do Festival Marreco (Patos de Minas), que aconteceu online nos canais de mídia do festival.

Durante os dois dias de evento, vários artistas da cidade se apresentaram com impecável estrutura e qualidade de transmissão, divididos em mais de dez horas de programação.


O festival contou com várias novidades da música de Patos de Minas e deixamos como destaque duas apresentações: nossos queridos da Pássaro Vivo, que fizeram o que sabem e botaram todo mundo pra dançar, e a Lizandra, mostrando que ainda tem muito para vir com seu novo trabalho.


CONFIRA O DIA 1


CONFIRA O DIA 2:



CAROLINO (Live)


O nosso Carolino continua com suas andanças musicais por todo país. De volta a Uberlândia, apresentou recentemente sua primeira live, apresentando as faixas que estarão no seu primeiro disco, que sai em 2021.


A apresentação foi feita de modo intimista, produzida em Uberlândia (MG), sem o supergrupo formado por Samuel e Mauro Fontoura (Muñoz) e Chico Abreu (Skrotes), que o acompanhavam até então. A live aconteceu por meio da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Catarina.

Confira:



Não deixe de acompanhar de perto todo esse movimento. O dispostivo anti surto em tempos de insustentáveis cenários está disponível e é feito de arte!


Se joguem nos lançamentos do Cena e fiquem ligados no que ainda está por vir.