CenaCerradoDiscos: Fernanda Vital e as novidades de 'Mímesis'

May 15, 2019

O time da Cena Cerrado Discos cresce a cada dia, e com excelentes artistas. Ontem falei aqui sobre o lançamento do duo post punk Justu (SP), e hoje já temos mais um grande nome a anunciar: Fernanda Vital! Ela lança single/clipe na próxima semana (22 de maio) e seu primeiro disco em julho, e a entrevistamos, pra saber as novidades de lançamento. Confira o universo "Mímesis".

"Mímesis", é o primeiro trabalho solo de Fernanda Vital / Foto: divulgação

 

"Mimese, mímesis ou mimésis (em grego: μίμησις, mímesis), é um termo crítico e filosófico que abarca uma variedade de significados, incluindo a imitação, representação, mímica, imitatio, a receptividade, o ato de se assemelhar, o ato de expressão e a apresentação do eu. Figura de retórica que se baseia no emprego do discurso direto e essencialmente na imitação do gesto, voz e palavras de outrem. Imitação verosímil da natureza que constitui, segundo a estética aristotélica e clássica, o fundamento de toda a arte." Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

A entrevista

CenaCerrado: Olá Fernanda! Bem vinda a Cena Cerrado Discos. É um prazer enorme poder anunciar você como artista do nosso cast! Diz pra gente, como tá o processo de produção de "Mímesis"? Sai algum material antes do disco? 
 

Fernanda: O processo está intensíssimo. Finalizando música, começando a produção ainda de algumas, um single pronto para sair, videoclipe recém finalizado, fechando as participações especiais, fechando as parcerias de forma geral, começando a preparar o show, e já iniciando também a pré-produção do segundo vídeoclipe (sim!)… e mais um monte de coisa! Tem material pronto para sair semana que vem, dia 22 (quarta feira). Vamos lançar o primeiro single do disco acompanhado de videoclipe. O single leva o mesmo nome do disco e já começamos a dar umas pistas através das fotos, inclusive pra esta matéria aqui, do que vem por aí...

 

 Arte de capa do single "Mímesis", que sai no próximo dia 22, pela Cena Cerrado Discos.

Foto: Filipe Vianna / arte gráfica: FFFirma

 

CenaCerrado: "Mímesis" já conta com uma equipe enorme, e parece ter sido construído meio à sua mudança de SP para Minas. Fale um pouco disso, essa mudança interferiu no processo de produção, com novas influências?

 

Fernanda: Sim, muita gente envolvida (que bom!). A equipe de produção acabou sendo grande e diversa. Primeiro a opção de gravar em São Paulo, com pessoas de lá. Depois de pensar o show com pessoas daqui, de Uberlândia. Depois de produzir o trabalho visual, também com pessoas daqui. Agora me envolvendo com o selo Cena Cerrado, que acaba fortificando ainda mais parte dessa rede. Minha mudança para Uberlândia certamente foi um fator relevante para o processo. Mas sempre gostei de compor, de produzir as ideias, de me envolver do começo ao fim. Tive na Varal de Renda (banda Rio Pretense) uma experiência linda de experimentar minhas músicas, e compartilhar com as pessoas maravilhosas que me acompanhavam e muito me ensinaram. Mas agora era hora de aproveitar essa mudança, esse renascimento (toda mudança é um pouco assim) para renascer na música também. Foi um processo doloroso e lindo. Agora no final, bem mais lindo.

 

Confira "O Preto e o Branco" da Varal de Renda

 

CenaCerrado: É teu primeiro trabalho solo. O que podemos esperar de "Mímesis" como um todo? O disco terá participações?

 

Fernanda: "Sobre Mímesis.. é uma realização pessoal, mas ao mesmo tempo representa para mim um passaporte para um vôo dentro das representações, interpretações, analogias, diversidades, uma brincadeira séria entre o que é, e o que poderia ser. Vejo assim, a arte como um todo, mas particularmente neste disco no qual eu me permiti sair do chão, e trabalhar a mente em um plano paralelo, imagético. Acho que em cada pessoa vai bater de um jeito. E a intenção é essa mesmo.Sobre a produção, participações... especificamente estou muito contente com as pessoas com as quais optei trabalhar. O Bruno Buarque tem se mostrado um produtor incrível, que além da competência técnica está tendo o olhar sensível e embarcando de cabeça nesta viagem do disco. E ele trás a linguagem dos beats pra frente do trabalho. Essa viagem se completa com mais dois músicos maravilhosos, que são o Zé Ruivo, em teclados e timbres cuidadosamente colocados e Fabinho Sá, que é um grande maestro, nos diversos baixos. Somando ao baixo acústico em algumas faixas temos o violino do uberlandense Gustavo Dias, só deixando tudo mais lindo.

 

 

 Daniel Gralha (Bixiga 70) e Moita Mattos (Porcas Borboletas), são as duas participações já confirmadas do disco. / Fotos: divulgação

 

"Além disso tivemos a participação de Moita Mattos (Porcas Borboletas) no violão e uma outra faixa com o Trompetista Daniel Gralha (Bixiga 70). Tem uma outra participação que está prestes a se concretizar mas sobre essa ainda não posso falar, só quando eu tiver certeza, mas já adianto que é pedrada. <3; Tive também a honra de trabalhar no videoclipe com os uberlandenses talentosíssimos Yuji Kodato (NÓIS) e Olivia Franco (MOVIOLA), e com o Filipe Vianna, na fotografia."

 

CenaCerrado: Muito obrigado Fernanda! Agora deixo esse espaço livre pra você dar o recado que quiser (:

 

Fernanda: É preciso transcender. Ainda mais em um momento de país e mundo tão ríspido e insensível às artes, às pessoas...Como já dizia Manoel de Barros, parafraseado em uma das canções do disco: Não perca a chance de aumentar o mundo. <3

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload