#COLUNAS/FICHA TÉCNICA: Animalescos

October 18, 2017

A medida de um campo de futebol de elite brasileiro é de 105m de comprimento e 68m de largura. Por hora, mais de 128 desses são derrubados na Amazônia. Fauna, flora, fuga, ferida. Mil cairão ao teu lado, mas tu não serás atingida. Arena Amazônia, habitat natural do elefante branco. A ambição edificada. Das Olimpíadas, da Copa e do passado. Da evolução da espécie polarizada. De um lado, batem o escanteio e correm para o gol. Do outro, não se vê show algum.

 

 Em 2012, torcedor já levava porco para as arquibancadas do Serra Dourada, em Goiânia (Foto: Reprodução)

 

 

O calor do estádio Olímpico de Goiânia sequer ressoa na frieza da segurança no lado de fora. Ali, milhares de apaixonados compraram o ingresso antecipado para ver o time de coração. Eis que aqueles pais, mães e crianças passaram a não ser mais bem-vindos assim. Quem entrou foi o porco, mas talvez quem precisasse de uma lavagem era aquele que o levou. Rapaz conhecido na cidade por carregar um galo para os embates, pecou pelo fetiche nos flashes.

 

Desconheço a magia rubro-negra de Goiânia capaz de colocar mais de 15 mil num espaço de 13 mil. Eram 70% destinados ao verde e branco. Nos números dos representantes da instituição, foram 11.881 pagantes, com 12.619 presentes. Renda de R$ 380.450,00. Ora bolas, e essa superlotação? Deságua em caso de polícia. As quatro linhas agora são de investigação. Sem contar o desrespeito ao Estatuto do Idoso e aos Estudantes. Os ingressos de meia entrada se esgotaram feito Usain Bolt nas Olimpíadas do Rio. Curioso, não?

 

Sou fiel - não praticante - da igreja dos desconfiados. Não é pra menos, quando o poder maior do esporte olímpico do seu país vai parar atrás das grades, o ex-principal mandachuva da bola anda de tornozeleira eletrônica e o atual sequer tem permissão para viajar. A herança de Havelange e Teixeira se limita ao caráter de seus discípulos. Um ambiente hostil, intransigente, onde nada se transforma, nem mesmo com um indigesto 7 a 1. 

 

Enquanto um porco é obrigado a torcer feito um humano numa praça superlotada em Goiânia, moradores no litoral de Santa Catarina acabam feridos ao tentarem desencalhar por conta própria uma baleia jubarte de oito metros e 20 toneladas. Se estressada, ela pode morrer. Da mesma forma que um golfinho quando um ser tenta arrancar-te para uma selfie. A jovem se encantou com a calmaria de um tigre dopado no zoológico. Entre tantos animais, sanguessugas, camaleões, urubus e elefantes brancos, vai ver animalescos andamos nós.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload