Especial Dia dos Pais: pretérito imperfeito do subjuntivo

August 15, 2017

Seja bem-vindo garoto! Chegaste em boa hora. Faz tempo que teus vestígios não sopram os ventos daqui. O olhar fundo e distante, as mãos entrelaçadas. Lembro-me de ti ajoelhado à beira da cama, agarrado na imagem de Nossa Sra. Aparecida que ganhaste da avó, como se pudesse guia-lo neste mundo do avesso. O coração apertava. Nos olhos, a típica garoa britânica escorria feito tempestade pelo rosto, sem saber que um sorriso podia clarear o dia. Antes de berrar aos céus, pediu um conselho para teu velho invisível, do qual ouviu de dentro do peito – “Aqui estão a caneta e o papel. Voa!”

 

Veja bem, um passo para trás jamais será trampolim para perdestes no caminho. Ninguém sabe da metade de teus percalços e de teus pés no chão. Não ouça aquele que o impedes de sorrir por aí sem motivo. Ele não sabe o que diz. Desconhece que a vida é mais feliz quando se vive em paz. Navegou por diferentes continentes, mas não aprendeu que mares calmos não fazem bons marinheiros. Sei que teu peito transborda e fantasmas voam por teu imaginário, mas não há mistério nem razão para chorar.

 

Grite, feito um gol aos 45 do segundo tempo. Cante como as torcidas de Arsenal e Chelsea que caminhaste junto rumo à entrada do estádio. Tu ainda serás parte da voz que ressoa de dentro. Reflita, como em frente o mar gelado de Brighton, das praias de pedras e céu acinzentado que conheceste no verão de 2012. Saiba que aquele povo irá comemorar o retorno à primeira divisão de futebol inglesa 34 anos depois. Neste mundo de órbitas estalantes, não há mal algum em cruzar o oceano para resgatar um passado ausente, mesmo que a presença continue distante.

 

Pessoas sempre falam demais, e dizem que no desandar da vida é que encontramos força para seguir. Lembra-te dos amigos do peito, do cachorro que sorri com os olhos. Não és obrigado a ser mero estranho no ninho. Vá como tu foste, mas pegue tuas trouxas e volta, mesmo que com o sonho debaixo do braço. Tua mãe te espera com a saudade apertada e teu irmão está pronto para guiar-te. Tem muita gente para conhecer, uma redação de jornal inteira e uma família novinha para comemorar o Dia dos Pais, sem qualquer máscara para cobrir o rosto de quem um dia o julgaste.

 

Infelizmente, nem tudo são flores por aqui. Estamos em 2017 e pessoas ainda saem às ruas encapuzadas e municiadas de fogo para disseminar o ódio e o preconceito racial. Tem esses e outros desencantos entre alguns encantos. Fique sabendo que Usain Bolt ainda se despedirá das corridas ao som de “One Love” no estádio que tanto enxergaste no horizonte, mas não pense demais. Tu, sou eu cinco anos atrás, e juntos aprendemos a exorcizar o pretérito imperfeito do subjuntivo – “Se ficasse, quem diabos eu seria?” De alguém que não aceitou ver o mundo pela janela, aponta pra fé e rema.  

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload